Lovely t-shirts!

 

 

Adoraria ter a do Pug…

Anúncios

Texto meu na web

Eu escrevi e fotografei.

E saiu aqui!

Lição de amizade

A comovente história de Canelo, o cão que esperou 12 anos pelo retorno de seu tutor

 

Na foto, o cãozinho Canelo aguardando seu tutor na porta do hospital (Foto: Reprodução)

Entre as centenas de belas histórias sobre o heroísmo e o amor dos animais aos seus tutores, não poderia faltar aqui a bela história de Canelo, um cão que por 12 anos ficou esperando por seu tutor na porta de um hospital. Enquanto que as pessoas, passadas só algumas semanas ou meses da morte de algum parente, em seguida já nem se lembram, Canelo vem comprovar esse amor incrível e incondicional que os animais podem sentir por seus tutores.

 

A história de Canelo foi divulgada em vários jornais (Imagem: Reprodução)

A história reproduzida a seguir foi enviada por Louisa Fry, de Portugal.

Lição de amizade

Canelo era um cão de um homem que vivia em Cadiz, Espanha. Era um animal que seguia seu tutor para toda parte e a todo o momento.

Este homem anônimo vivia só, por isso o bom cão era seu mais leal amigo e único companheiro. A companhia e o carinho mútuo os faziam cúmplices nos olhares e até nos gestos.

A cada manhã se podia vê-los caminhando juntos pelas tranquilas ruas da cidade quando o bom homem levava seu amigo para passear. Uma vez por semana, um desses passeios era para o Hospital Puerta del Mar, pois devido a complicações renais o homem se submetia a tratamento de diálises.

Obviamente, como em um hospital não podem entrar animais, ele sempre deixava Canelo esperando-o na porta do mesmo. O homem saia de suas diálises, e juntos se dirigiam a casa. Essa era uma rotina que haviam cumprido durante muito tempo.

 

Foto: Reprodução

Certo dia o homem sofreu uma complicação em meio de seu tratamento e os médicos não puderam superá-la e ele faleceu no hospital. Enquanto isso Canelo, como sempre, seguia esperando seu tutor deitado junto à porta do centro de saúde. Mas seu tutor nunca saiu.

O cão permaneceu ali sentado, esperando. Nem a fome nem a sede o afastaram da porta. Dia após dia, com frio, chuva, vento ou calor, seguia deitado na porta do hospital esperando seu amigo para ir para casa.

Os vizinhos da região perceberam a situação e sentiram a necessidade de cuidar do animal. Faziam turno para levar-lhe água e comida, inclusive conseguiram a devolução e indulto de Canelo numa ocasião em que o controle de animais do município o levou para sacrificar.

Doze anos, assim mesmo como o leem. Esse foi o tempo que o nobre animal passou esperando fora do hospital a saída de seu tutor. Nunca se cansou, nem saiu em busca de alimento, tampouco buscou uma nova família. Sabia que seu único amigo havia entrado por aquela porta e que ele deveria esperá-lo para voltar juntos para casa.

A espera se prolongou até nove de dezembro de 2002, dia em que Canelo morreu atropelado por um carro nas cercanias do hospital.

Um final trágico, mas cheio de esperança para quem ama os animais e para quem acredita que mais além, todavia uma nova vida nos espera.

 

Cão recebeu homenagem da população (Foto: Reprodução)

A história de Canelo foi muito conhecida em toda a cidade de Cádiz. O povo, em reconhecimento ao carinho, dedicação e lealdade de Canelo, colocou seu nome numa rua e uma placa em sua homenagem.

O outro lado da moeda animal…

Mas há histórias que deixam a gente feliz!

Uma delas está aqui:

Salvamento de cão mobiliza hamburguenses

 

Por que maltratar?

Quem me conhece sabe o quanto eu AMO animais e fico P* da vida com que maltrata os bichinhos, principalmente os de rua. Eles estão lá, convivem com a sociedade (e muitos fazem de conta que não enxergam) e não fazem mal a ninguém.

Daí aparecem uns idiotas (classificação leve) e fazem isso:

Tanta gente se preocupando, tentando dar uma vida mais digna aos bichos das ruas (minha chefe e minha prima são um exemplo desse amor incondicional aos animais!) e outros imbecis maltratando. Por quê? Pelo simples prazer de ferir, de ver sofrer?

Há quem diga que animal não pensa, não tem sentimentos. Não vou discutir isso aqui, porque cada um pensa do seu jeito! Mas posso dizer, com certeza, que como os animais são feitos da mesma matéria-prima que o homem – carne, sangue, pele, ossos, nervos – com certeza eles sentem dor, eles sofrem com estas barbaridades!

Pedido aos amigos que conhecem benfeitores: postem nos comentários do blog contatos de pessoas que ajudam, que fazem o bem, e vamos divulgar estas notícias horríveis e nossa indignação! Porque elas podem servir de exemplo para que alguém não repita o mesmo ato!