11.22.63 – uma resenha

Eu contei lá no Medium, em janeiro, que eu queria assistir 11.22.63. Pois bem, eu assisti! E AMEI! ❤ ❤ ❤

 

11-22-63-hulu
James Franco, Stephen King e J.J.Abrams – como não amar?

Cara, como Stephen King me faz feliz. 😀 Amo suas histórias e, mesmo que as adaptações não sejam ipsis literis o que ele escreveu, sempre me surpreendem e agradam.

A série é curta – tem 8 episódios – e nós matamos em dois dias. #maratonando

Foi divertido ver um cara de 2015 chegando e se adaptando aos anos 1960.

11.22.63
Bem-vindo ao passado, Jake!

Ficaram super marcadas as diferenças culturais – e eu não tô falando só de não haver internet e tal. As conversas (“você pode falar menos palavrões, por favor!”), os relacionamentos, o racismo, o papel da mulher na sociedade, está tudo ali, escancarado, dando na nossa cara!

Mudar o passado pode parecer simples, mas não é! Quantas vezes nos perguntamos “e se?” em relações a coisas que dissemos ou fizemos… Não tem como saber, assim como Jake achava que sabia o que aconteceria se ele tivesse êxito.

nwp246FEAT

Mas o mundo é cheio de poréns e de talvez, uma coisa gera outra. É um efeito borboleta. Se vivemos no mundo que temos hoje, é porque os acontecimentos caminharam dessa forma, era pra ser assim. E se tivéssemos feito diferente?

Ou como a Drika questionou no domingo, durante uma conversa com a minha sogra, “e se o Jerri tivesse servido a Aeronáutica, hoje ele seria dindo do Lucca?”. Não tem como saber, a única certeza que temos é o que somos.

Anúncios