O admirável mundo das séries

Este texto foi originalmente publicado no Medium em fevereiro de 2016. É um dos que mais amo, então tá aqui também! Desconsiderem a fala do “Carnaval”, mas a dica #maratonem


Hoje eu resolvi escrever sobre as séries que estamos acompanhando aqui em casa. Mais do que listá-las, quero contar porque cada uma delas está nesta lista. Vale como dica pra quem, como nós, não terá Carnaval! Vale maratonar, todas podem ser encontradas online!

THE BLACKLIST

Somos fãs do Red, adoramos a forma como ele lida com os crimes — os que comete e os crimes dos outros. É o tipo de protagonista que vem ganhando espaço nas novelas: nem bom, nem mau, apenas humano. Sabe que o que faz é errado, mas acredita no que faz. Manipula, envolve, joga o tempo todo. E também ama: porque se não for amor o que ele sente pela Lizzy, não sei mais o que amar…

HTGAWM

Não sei o que falar, apenas sentir… Essa frase da Roberta Miranda resume minha paixão por Anallise Keating e seus pupilos. How To Get Away With Murder surpreende em todos os episódios. O ritmo louco da narrativa, que sempre volta ao case da temporada e vai revelando aos poucos o centro de tudo, faz com que a gente fique na expectativa. Status: apenas esperando 11 de fevereiro e a volta da temporada!

CRIMINAL MINDS

Criminal Minds, como o próprio nome indica, analisa a mente das pessoas. O foco são os assassinos em série, psicopatas…, mas a análise vai além disso. É uma aula de análise do comportamento humano. E tudo sob a supervisão do cara sério, o paizão, o queridinho genial, a nerd, o fortão, a mãe e a mulher independente. Mas não pense em estereótipos. Assim como a gente, as personagens não são apenas estas definições aí: partimos disso para aprofundar o comportamento humano dos detetives e dos criminosos.

QUANTICO

Nossa, mais de FBI, investigação, crime, atentados, personalidades dúbias, essas coisas… Não acho lá graaaandes coisas, mas a curiosidade em saber quem é o terrorista não me deixa desistir da série e aguardar a volta da temporada. Mas este é o tipo de série que sempre me faz pensar: eles vão nos enrolar muito? Como será uma segunda temporada?

THE 100

Ok, The 100 passa na MTV Brasil e claramente é uma série mais teen. Mas isso não nos fez perder a curiosidade do que vai rolar na terceira temporada — desde que não vire uma coisa meio Lost. :/ Jovens criados em uma estação espacial voltam pra descobrir se a Terra suporta vida humana e, quando chegam, descobrem que há vida. Tem toda uma discussão sobre gerações, liderança, conhecimento… Apenas por estes debates já vale o tempo investido!

Anúncios

Enquanto isso, na tv a cabo…

Queria tanto ver…

Ok, a Regina Duarte está dando mais um show em O Astro, ainda mais nas cenas com o Daniel Filho. Gente, esse homem não podia ter deixado a frente das câmeras pra se esconder lá atrás! Além de ser fera na direção e na percepção da televisão (e dos produtos audiovisuais) como um todo, é um baita ator!

Eu queria só meia hora de conversa com ele na vida. Sei que acrescentaria muuuito nas minhas pesquisas!

As entrevistas de Gabi!

Feliz fiquei eu após dois programas de entrevista. No domingo, Marília Gabriela com Rodrigo Santoro no SBT. Ontem, ela e outros com Wagner Moura na Cultura (TVE).

Nas pautas, os assuntos se repetem. Como viver fora da TV? De onde vem o dinheiro? Teatro X cinema X novela? Reconhecimento internacional? Novos projetos, ambições?

Bem, o que realmente prendeu minha atenção foi – além da bela simpatia dos dois entrevistados – a forma como eles encaram as novelas. Como estou estudando este produto cultural, presto atenção em tudo que falam sobre. E nada melhor do que entrevistas com dois galãs Globais para pescar algo.

Wagner Moura afirma respeitar a novela e destaca que é muito bom trabalhar, mas que há um problema: o projeto é extenso,demora um ano, o que não permite conciliar com outras atividades, como teatro e cinema. Do mesmo modo, Rodrigo Santoro reconhece a importância  das novelas, mesmo estando longe delas há tempos!

Fico feliz por ver que atores renomados do nosso país fazem diferente de muitos outros, que tratam a novela como menor, como lixo cultural. Elas têm seu valor, sim, e é isso que eu defendo desde a faculdade… Cada um deve saber como apropriar-se do seu conteúdo, ter um olhar crítico sobre o enredo. E era isso!