Eu e minhas moedas

Já virou piada aqui em casa a minha perseguição, mania – bem louca mesmo! – por moedas. Especialmente as de 25 centavos pra cima. Elas ficam na reta, eu jogo na bolsa e elas somem.

Ok, elas não somem. Elas vão parar no cofre de porquinho que eu tenho na Plan. O cofre fica lá pra ninguém mexer mesmo. Cada vez que ele enche, eu pego as moedinhas e vou na padaria trocar. Cada troca rende em média 50 reais.

Opa, começou a ficar bom, né?

Ah, mas daí eu pego as notinhas e saio torrando, certo? Afinal, era um dinheiro que eu não contava, nem vou sentir se gastar…

ERRADO!

As notinhas voltam pro porquinho, que começa a ganhar moedinhas de novo. E assim vou. Enche, troca e guarda o dinheiro. E sempre com um objetivo. Um deles foi este:

20130728_171907

A Dolce Gusto mais linda e gostosa de todas.

Agora, comecei nova missão das moedas. Ainda não sei o que vou fazer com o dinheiro, mas certamente será algo no estilo. Aquelas coisas que a gente quer ter, não tem pressa e que não quer tirar um dinheirinho maior do orçamento do mês.

Anúncios

Organizando a grana…

Uma das minha metas de 2012 é organizar a vida. E, com isso, melhorar a questão financeira. Isso não significa enriquecer ou deixar de gastar, mas sim saber onde enfio o dinheiro e como otimizar gastos para comprar coisas legais que desejamos há tempo!

Bem, a primeira missão então, foi passar a anotar tudo o que eu gasto. E dessa vez está dando certo! O que simplificou esse processo foi o telefone novo, que vem com bloco de notas. Assim, todo dia abro uma nota nova e anoto quanto e onde gastei. Inclui nas anotações o pagamento de contas, inclusive!

Detalhe: as anotações são específicas. Se vou na padaria comprar um lanche, anoto “lanche”. Já se a ida à padaria é para comprar coisas pra janta, anoto “padaria”. E entendo as diferenças. Posto (de gasolina) também era muito genérico: uso “gasolina”, “lanche” ou “cigarro/café” (ó os vícios aparecendo).

Outra medida que tomei foi organizar as contas pagas. Há anos tenho uma pastinha sanfona, onde coloco os comprovantes. O problema é que as categorias eram confusas… Tipo, tinha “Feevale” (onde cursei o mestrado) pra guardar os boletos pagos. Mas a Dothi também tinha a Feevale dela. E daí virava uma bagunça. Como resolver isso?

Simplifiquei as categorias! Sim, agora o Jerri tem uma aba só pra ele, assim como a Dothi. E tudo que for pago/gasto (sim, as notas fiscais vai aí também!) de cada pessoa vai pra aba específica. As categorias mais amplas são da casa e minhas (eu mereço, sou eu quem controla tudo mesmo!), como Feevale, TV, luz…

Já aproveitei que tinha que limpar a pasta pra 2012 e arquivar 2011 pra fazer uma super faxina na caixinhas de contas antigas…. Tinha coisa até de 2005, apólices velhas de seguro do carro… Tudo pra churrasqueira – sim, sou neuríótica e não coloco esses papeis no lixo!

Agora, para o fim do mês, a ideia é sentar e colocar todos os gastos no Excel, na super planilha que a colega Carol usa (e me doou), pra ver mesmo onde foi o dinheiro…

O que falta?

– prever os gastos fixos chatos (IPVA, IPTU, seguro do carro…) e dividí-los por mês;
– listar contas antigas em aberto e quitar;
– juntar uma graninha por mês pra comprar algo legal pra casa (que tal uma TV nova?)!